Matheus Loures

Externando aquilo que me distrai

Porque não “experimento Deus” no meu trabalho? (introdução)

Deixe um comentário

Podemos servir a Deus através do nosso emprego, mas porque isso é tão difícil ?

Podemos servir a Deus através do nosso emprego, mas porque isso é tão difícil ?

Sempre acreditei, com unhas e dentes, nessa equação de Fé + Emprego = Glória de Deus. Por isso resolvi trabalhar num cargo de gerência de um ponto de cultura. Entrei na ONG feliz da vida, na esperança de que este trampo fosse uma expressão do meu relacionamento com Deus.  Doce ilusão…. Não consegui realizar um bom trabalho, minha vida devocional com Deus se atrofiou, encarava tudo como uma rotina chata sem nenhuma empolgação, fiquei improdutivo e não dei um bom testemunho. Sim… sei da minha mea-culpa nisso tudo.

Apesar de tudo, esta experiência nada mudou naquilo que acredito. Cedo descobri que não havia trabalho secular e que, portanto, podemos servir a Deus com nossa profissão. Muita gente prega sobre isso baseado na ideia, surgida na Reforma, de que Deus ordena um “Mandato Cultural”, ou seja, a possibilidade de servi-lo e adorá-lo através da ação na sociedade. Abraham Kuyper resume cabulosamente bem: “Não há um centímetro quadrado, em todo domínio de nossa existência, sobre os quais Cristo, que é soberano sobre tudo, não clame: – É meu!”.  Movimentos como a missão integral e o Neo calvinismo, do cara que escreveu a frase, popularizaram esse papo. *

Mas quem disse que isso é fácil? Afinal de contas, nem tudo são flores e a queda afetou toda forma de trabalho. É por isso que resolvi escrever sobre o assunto… já sabemos que nosso trabalho pode ser “de Deus d+”, mas quero refletir sobre as dificuldades de se viver isso.

Farei 4 considerações sobre temas importantes para manter a devoção à Deus através de nosso labor: Espiritualidade (vida devocional), Vocação (nosso chamado específico), Humanidade (ou humanilidade) e Harmonização com o todo da vida (possibilidade de viver tudo aquilo que Deus criou para que experimentássemos). Hoje, devido ao tempo gasto com a introdução, ficaremos por aqui. Os 4 temas serão abordados em post separados.

* (Para quem não tem intimidade com esse pensamento recomendo assistir essa palestra do Maurício Cunha, que possui mesmo conteúdo dos cara bons de serviço do L’Abri http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=mCNr94PqPvk )

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s